• A vila de Coja

História

Coja é uma bonita vila no centro de Portugal, também chamada “A Princesa do Alva”, pelas suas belezas naturais e situação privilegiada, nas duas margens do Rio Alva e confluência da Ribeira da Mata.

Outrora sede de Freguesia e de Concelho, teve o seu primeiro foral em 12 de Setembro de 1260 atribuído por D. Egas Fafes, bispo de Coimbra, e renovado por D. Manuel I, aquando da reforma dos forais, tendo recebido a vila “nova carta” em 12 de Setembro de 1514.

O nome da vila foi sofrendo alterações ao longo dos tempos. Significando “cidade de pretor”, foi primeiro Copje, depois Cogia, Coia e finalmente Coja. Pretor seria o alcaide-mor e senhor absoluto das terras. Se Coja era conhecida por vila ou localidade de pretor, é porque se tratava de uma espécie de capital de província, mas não há documentos que o comprovem. Se os romanos tiveram em Coja um pretor, o cargo terá sido mantido pelos árabes donde, na tradução árabe, terá vindo o topónimo Coja.

É difícil atribuir uma data de fundação à vila, cujo castelo terá sido arrasado em 1206/1207 e reconstruído parcialmente, mais tarde, no Paço, local privilegiado face ao Alva, onde terá sido erguido posteriormente o Paço Episcopal.

Sabe-se que Coja era passagem obrigatória para atravessar a Serra e chegar à Beira Baixa e, a sua situação à beira rio e fertilidade dos terrenos, aliada à exploração de metais e palhetas de ouro nas areias do Alva, terão sido o motivo de fixação dos primeiros “cojenses”.

 Curiosidades:

A Rua Principal (Dr Albino de Figueiredo) foi aberta em 1915 e Coja teve o seu primeiro telefone, na Estação de Correios, em 1922.

A luz eléctrica chegou a Coja a 28 de Junho de 1930 e a água jorrou pela primeira vez na fonte da Praça em Junho de 1949.

Mais informações

A Porta do Açor…

Pela sua localização privilegiada Coja é a “Porta do Açor” para quem quer visitar a Paisagem Protegida da Serra do Açor e conhecer melhor o concelho de Arganil e centro do País.

Existem várias hipóteses de percursos pela serra, dependendo do tempo da estadia, mas a mais usual é a que remete à Aldeia Histórica do Piodão, a aldeia presépio, a aproximadamente 30km de Coja, e Foz d’Égua, 3km mais abaixo, com passagem pela Aldeia de Xisto da Benfeita, e paragem obrigatória na Fraga da Pena e Mata da Margaraça, para contemplar as suas belezas naturais.